/Mercado de eSports no Brasil é um dos maiores do mundo

Mercado de eSports no Brasil é um dos maiores do mundo

País se destaca pelo potencial de engajamento e relevância no universo gamer

Mercado de eSports no Brasil é um dos maiores do mundo
Foto: Divulgação

Há algumas décadas, os eSports eram uma modalidade de nicho e que atraía apenas algumas dezenas de entusiastas. O cenário mudou e atualmente ele é um dos segmentos mais promissores do planeta, tendo no Brasil um de seus principais mercados, incluindo a realização de torneios nacionais.

De acordo com o Global Esports Market Report, da Newzoo, das pessoas que acompanham futebol – o esporte brasileiro mais popular — 24% têm entre 10 e 20 anos. Quando falamos daqueles que assistem a algum torneio de eSports, o número quase dobra, 43%. Globalmente, o mercado movimentou US﹩ 1,1 bilhão em 2019 e deve se aproximar do US﹩ 1,5 bilhão este ano.

Um dos fatores que mais chama a atenção, no entanto, é a audiência, que alcança números que nem mesmo os esportes mais tradicionais conseguem. Em 2019, a final da Copa do Mundo de League of Legends — um dos torneios mais conhecidos do mundo — registrou a incrível marca de 99,6 milhões de espectadores.

No mesmo ano, o número de pessoas que assistiram os campeonatos de jogos eletrônicos foi de 453,8 milhões, um aumento de 16,3% em um ano. No Brasil, houve um crescimento de 20% em audiência no ano passado, com 21,2 milhões de espectadores, se tornando assim a terceira maior audiência no mundo, atrás apenas da China e dos Estados Unidos.

“O mercado de eSports tem crescido de forma exponencial, mas isso não é um fenômeno novo. Prova disso é a Twitch, fundada em 2011, e adquirida pela Amazon três anos depois em uma negociação de 970 milhões de dólares, tamanha influência desse segmento no mundo desde então”, afirma Pedro Oliveira, cofundador da OutField Consulting, consultoria focada nos negócios do esporte e do entretenimento.

Advertisement

De acordo com uma pesquisa da consultoria PwC, o mercado de games nacional deve crescer a uma média de 5,3% até 2022. Somando jogos de console e PCs aos jogos mobile, o faturamento total dos jogos digitais no Brasil para o mesmo ano está estimado em mais de 1,75 bilhão de dólares, um crescimento de mais de 250 milhões de dólares. “Os torneios atraem milhões de pessoas e se mantém em alta mesmo com a pandemia. Isso porque as competições tiveram sua origem no mundo online e estamos lidando com plataformas que naturalmente possuem um forte engajamento de seus participantes”, analisa o especialista.

A atratividade do mercado é tamanha que tradicionais Clubes de futebol, como Flamengo, Corinthians, Santos e Cruzeiro já estão nos esportes eletrônicos.

Não apenas os clubes, mas outras grandes companhias já enxerga o potencial deste mercado como Intel, Coca-Cola, RedBull, Netshoes, Submarino, Kalunga, BMW, Unilever, Lupo, e Vivo. Porém, ainda há muito o que ser explorado.

“Diversas marcas, principalmente de fora do segmento esportivo, ainda não enxergam como elas podem contribuir e estarem presentes dentro deste cenário. A maioria, na verdade, nem ao menos pensa em se aproximar, considerando que este é um mercado ainda distante da sua realidade”, aponta Oliveira.

Com o país tendo um cenário tão promissor, muitas empresas podem focar em produtos diferenciados e colaborar com os fãs brasileiros que poderão contar com cada vez mais opções para acompanhar seus eSports favoritos nos próximos anos.

Advertisement