/Sistema de franquias do League of Legends poderá chegar ao Brasil

Sistema de franquias do League of Legends poderá chegar ao Brasil

Times nacionais admitem ter recebido da desenvolvedora Riot Games sinalização de que estrutura no país seguirá o mesmo formato já adotado nos EUA e na Europa, marco fundamental para a marca no país.

Sistema-de-franquias-do-League-of-Legends-poderá-chegar-ao-Brasil
Foto: Divulgação

É apenas questão de tempo a Riot Games, desenvolvedora do League of Legends, implantar no Brasil o sistema de franquias. Modelo já acontece nos EUA, Europa e China. Portanto, segundo sinalização da empresa americana, foi confirmada pelas principais equipes do país que o modelo poderá chegar no Brasil. Desde já, o sistema de franquias se trata do modelo adotado nos EUA por seus esportes, como o basquete (NBA) e o futebol americano (NFL). Sendo assim, trata-se de um sistema onde as equipes passam a ser sócia de uma liga. Essa liga é responsável por centralizar o controle e gerenciamento do torneio.

Porém, o sistema proposto pela Riot Games traz uma diferença em relação às ligas tradicionais. Falamos sobre a administração do negócio fica a cargo da desenvolvedora, e não de uma associação composta pelas equipes. Desta forma, pelo novo formato, a desenvolvedora protege sua autoridade.

Sendo assim, os clubes brasileiros teriam que adquirir seu direito de integrar a liga e competir como franqueados. Se mantida a lógica das versões estrangeiras, a captação de investimentos e patrocínios ficaria sob-responsabilidade da Riot Games. Assim como os lucros gerados pelo campeonato seriam repartidos entre a desenvolvedora, as equipes e os atletas. Isso aconteceria omo forma de angariar benefícios mútuos e proporcionar o crescimento da liga na totalidade.

Ambiente mais profissional

A novidade, marco fundamental para a marca no país, teria como consequência principal o surgimento de um ambiente mais profissional. Além disso, melhores condições para a organização de longo prazo, maior visibilidade e segurança para equipes, jogadores, patrocinadores e investidores.

Para fins de curiosidade, o formato de liga facilitou que a NFL fechasse o seu atual contrato de transmissão. Além disso, a liga mantém contratos de cerca de US$27 bi (R$109,6 bilhões) com a CBS, NBC e Fox. 

De acordo com André Sica, sócio da CSMV Advogados onde é responsável pela área de Esportes, Entretenimento e eSports :

– É inegável que uma reforma como a estudada representa maior estabilidade para o campeonato e para os times, uma vez que a vaga é mantida por tempo pré-determinado, assegurando recursos e oportunizando um melhor planejamento para ambas as partes. Há fundamentos para crer que a segurança e previsibilidade geradas pelo sistema de franquias seriam determinantes para a atração de novos investidores e para a potencialização da visibilidade do CBLol.

Sendo assim, com a implementação de um sistema de franquias e concentração do mercado, a participação no campeonato nacional ganharia contornos de exclusividade. Isso permitiria o direcionamento dos serviços e ativações para um grupo mais homogêneo de participantes, viabilizando um aumento de capitalização do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLol).

Apesar de a adoção do novo modelo representar um alto investimento inicial, este seria compensado pela criação da estabilidade a médio e longo prazo.

Cenário atual

O sistema adotado no Brasil atualmente permite a criação constante de novos clubes e eles podem ter variadas dimensões e poderios econômicos. Esses clubes conquistam as suas vagas na série de promoção através de aquisições relativamente baratas.

O CBLoL é disputado entre os oito principais clubes do país, com ascenso e descenso para o Circuito Desafiante. Com investimentos, esses clubes podem subir à divisão principal e disputar o título do maior campeonato da modalidade no país. O cenário é democrático, com menos obstáculos para a entrada no circuito. Porém, o retorno financeiro e de visibilidade também é limitado.

Sendo assim, reforçando uma possível reinvenção da forma de disputa do jogo no Brasil, a Riot Games indicou que voltará a assumir a produção do campeonato. Como provável consequência da adoção do sistema de franquias, a competição nacional passaria contar com série única. Portanto, o ascenso e descenso deixariam de existir, o que não fere o que dita o Estatuto do Torcedor.

A criação de uma taxa de participação é um obstáculo para o ingresso de equipes menos tradicionais no cenário. 

Aquecimento do mercado

A perspectiva com o novo sistema de franquias é de que, inclusive os menores, mas promissores, players, colherão os seus benefícios com uma liga.

De acordo com Beatriz Chevis, advogada associada do CSMV Advogados, que atua na área de Esportes, Entretenimento e eSports:

– É muito provável que muitos dos times que hoje se encontram no mercado não terão o fôlego financeiro para integrar o novo sistema de franquias. Isso certamente abrirá as portas para um boom de fusões, aquisições e demais operações societárias no mercado, que deve mudar o perfil dos investidores e qualificar ainda mais os atores desse grande cenário que não para de evoluir.

O mercado de esportes eletrônicos é um dos que mais cresce no mundo. Este cenário tem atraído investidores cada vez maiores interessados em explorar o potencial do segmento. Para fins de referência, a plataforma de streaming chinesa Bilibili recentemente adquiriu os direitos exclusivos de transmissão da edição deste ano do Campeonato Mundial de League of Legends por aproximadamente 82,2 mi de libras [cerca de R$ 440 milhões].